Doença Degenerativa do Disco – DDD

Doença degenerativa do disco (DDD)Apesar de ser uma parte normal do processo de envelhecimento,  a Doença Degenerativa do Disco (DDD) pode causar sintomas dolorosos. Felizmente, existem opções de tratamento minimamente invasivos que o ajudam a proporcionar alívio dos sintomas e mantê-lo ativo.

O que é Doença Degenerativa do Disco (DDD)?

Doença degenerativa do disco (DDD) é parte do processo natural de envelhecimento. À medida que envelhecemos, os nossos discos intervertebrais perdem sua flexibilidade, elasticidade e características de absorção de choque. As fibras exteriores que cercam o disco, chamado de anel fibroso, tornam-se frágeis e são mais facilmente rasgadas. Ao mesmo tempo, o centro de gel macio do disco, chamado o núcleo pulposo, começa a secar e encolher. A combinação de dano para os discos intervertebrais, o desenvolvimento de osteófitos e o espessamento gradual dos ligamentos que suportam a coluna vertebral podem contribuir para a artrite degenerativa da espinha lombar.

Até certo ponto, esse processo acontece com todos nós. Como a nossa pele, o disco intervertebral é liso e hidratado quando nascemos. A medida que os anos passam, pequenas marcas surgem na estrutura do disco e progressivamente ele se torna ressecado, a exemplo das rugas que surgem em nossa pele. No entanto, nem todo mundo que tem alterações degenerativas na coluna lombar tem ou vai desenvolver dor. Muitas pessoas que são assintomáticas tem ressonâncias que apresentam hérnia discal, alterações degenerativas da coluna vertebral e canais estreitos. Cada paciente é diferente e é importante perceber que nem todas as pessoas desenvolvem sintomas como resultado de uma doença degenerativa do disco.

Doença degenerativa do disco (DDD)Quais são os sintomas da doença degenerativa do disco?

Quando a doença degenerativa do disco se torna dolorosa ou sintomática, pode causar vários sintomas diferentes, desde a dor proveniente do próprio disco, que é “invadido” por terminações nervosas que usualmente não estão presentes no disco normal (dor discogênica), até mesmo por compressão das raízes nervosas (dor neurogênica). Dependendo de onde o seu disco degenerado está localizado, ele pode causar:

Estes sintomas são causados ​​pelo fato de que discos desgastados são uma fonte de dor. Com o desgaste há uma perda da altura discal, o que promove uma diminuição do espaço disponível para as raízes nervosas. Como os discos intervertebrais começam a se desgastar, toda a coluna lombar torna-se menos flexível. O resultado pode ser a dor nas costas e rigidez, especialmente no final do dia. Outro sintoma comum é a dor e rigidez matinais, pois durante a noite usualmente retemos líquido. Isso faz com que os discos “inchados” sensibilizem as terminações nervosas e a pessoa sinta dor ao acordar ou mesmo fique com o tronco torto ao se levantar (escoliose antálgica). Várias pessoas acabam culpando os seus colchões como causa de suas dores por esta razão, julgamento este equivocado.

Como é uma doença degenerativa do disco diagnosticada?

O diagnóstico da doença degenerativa do disco começa com um exame físico completo. O médico examinará as costas para verificar a flexibilidade, a amplitude de movimento e a presença de certos sinais que sugerem que suas raízes nervosas estão sendo afetadas pelas alterações degenerativas a sua volta. Isso muitas vezes envolve testar a força de seus músculos e seus reflexos para se certificar de que eles ainda estão funcionando normalmente. Muitas vezes você vai ser convidado a preencher um questionário que pergunta onde seus sintomas de dor, dormência, formigamento e fraqueza estão ocorrendo.

Doença degenerativa do disco (DDD)Uma série de raios-x também são geralmente encomendados para um paciente com dor nas costas. Se a doença degenerativa do disco está presente, os raios-x muitas vezes mostram um estreitamento dos espaços entre os corpos vertebrais, o que indica o disco tornou-se muito fino ou entrou em colapso. Esporões ósseos também podem formar em torno das bordas dos corpos vertebrais e também em torno das bordas das articulações da coluna vertebral (articulações facetárias). Estes esporões podem ser vistos em um raio-x e também são chamados de osteófitos. Com o colapso do disco e a formação de osteófitos, o espaço disponível para as raízes nervosas começa a encolher. As raízes dos nervos saem do canal espinhal através de um túnel ósseo denominado forame neural, e é neste ponto em que as raízes nervosas são especialmente vulneráveis ​​à compressão.

Em muitas situações, os médicos vão pedir uma ressonância magnética ou a tomografia computadorizada (CAT scan) para avaliar as alterações degenerativas na coluna lombar de forma mais completa. A ressonância magnética é muito útil para determinar se há a presença de uma hérnia discal, e para ver em que lugar as raízes nervosas estão sendo comprimidas. A tomografia computadorizada é frequentemente usada para avaliar a anatomia óssea da coluna vertebral, que pode mostrar quanto espaço está disponível para as raízes nervosas dentro do forame neural e do canal vertebral.

Como é tratada uma doença degenerativa do disco?

O seu médico irá discutir com você as opções de tratamento adequadas para o seu diagnóstico.

Para a maioria das pessoas que não têm evidência de compressão da raiz nervosa com fraqueza muscular, terapias não-cirúrgicas conservadoras, como medicação, repouso, exercícios e fisioterapia são normalmente recomendadas.

A cirurgia é oferecida apenas depois do tratamento conservador falhar para aliviar adequadamente os sintomas de dor, dormência e fraqueza ao longo de um período de tempo significativo.

  • Fusão ou artrodese intervertebral – a artrodese normalmente é indicada para o tratamento da doença degenerativa discal resistente ao tratamento conservador exaustivo. O uso de cages intersomáticos (espaçadores que são colocados entre as vértebras no espaço do disco) modernos permitem que se faça uma descompressão indireta do forame neural, pelo restabelecimento da altura entre as vértebras e de sua posição anatômica, ressecção completa do disco afetado e que é a fonte da dor. Esse é o princípio utilizado, por exemplo, na técnica do XLIF. vide opções de tratamento – artrodese extremo-lateral minimamente invasiva XLIF, e na artrodese tubular minimamente invasiva por via transforaminal MIS -TLIF.

DDD

 

9500790 A

Ilustração de um XLIF

 

Capstone_Large 005_0001

Ilustração de um MIS-TLIF

 

  • Prótese de Disco – O propósito do disco artificial é o de substituir o disco degenerado preservando a mobilidade natural do segmento operado, assim como uma prótese de quadril ou joelho. Teoricamente podem tratar o disco alterado e proteger os demais níveis adjacentes de uma degeneração.Apesar de ser uma tecnologia disponível e altamente atraente, a cuidadosa seleção dos pacientes a serem submetidos a essa cirurgia é fundamental para se evitar complicações. Essa também é uma cirurgia tecnicamente demandante, e um cirurgião com treinamento específico para este tipo de cirurgia deve ser escolhido.Algumas contraindicações a este procedimento incluem instabilidade (EX: Espondilolistese), osteoporose, artrose das articulações facetarias e compressão dos nervos da coluna, como nas estenoses.tratamento_cirurgico06

tratamento_cirurgico07Os benefícios da cirurgia da coluna, no entanto, devem ser pesados ​​contra os riscos. O cirurgião será capaz de discutir os riscos e benefícios da cirurgia com você, e os resultados prováveis ​​de tratamento cirúrgico e não-cirúrgico.

Assinar
Newsletter