Estenose foraminal

Entre as vértebras da coluna vertebral, existem aberturas através das quais as raízes dos nervos espinhais passam na saída da coluna vertebral, chamadas forames. Estenose foraminal é uma condição na qual um ou mais dos neuroforames se estreitam, interferindo ou comprimindo as raízes do nervo espinhal.

O que é a estenose foraminal?

Estenose foraminalEstenose Foraminal é uma condição na qual um ou mais dos neuroforames se estreitam, interferindo ou “beliscando” as raízes do nervo espinhal. Pode ser causada por uma variedade de condições, a maioria das quais estão associadas a alterações degenerativas da coluna vertebral. Estas incluem:

  • Hérnia de disco ou abaulamento
  • Artrite
  • Esporões ósseos (“bicos de papagaio”)
  • Espessamento do ligamento amarelo
  • Tecido cicatricial
  • Alargamento da articulação facetária

Pelo fato da estenose espinhal ser muitas vezes precipitada por degeneração da coluna vertebral, é mais comumente encontrada em pacientes com 50 anos ou mais. No entanto, a genética do indivíduo e algumas condições congênitas podem também ser fatores associados.

Quais são os sintomas da estenose foraminal?

Os sintomas da estenose foraminal pode incluir uma ou mais das seguintes características:

  • Dor de irradiação que se estende para outras partes do corpo, por exemplo dor cervical para o braço ou uma dor lombar para a perna
  • Dores nas costas ou no pescoço que tende a agravar-se progressivamente ao invés de se desenvolver subitamente.
  • Entorpecimento
  • Fraqueza
  • Queimação, formigamento (“alfinetadas e agulhadas”)

Como é a estenose Foraminal diagnosticada?

Para determinar se você tem estenose foraminal, o médico irá examinar suas costas e seu histórico médico, e pode pedir um raio-x, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (MRI) da coluna.

Como a estenose foraminal é tratada?

Se houver envolvimento mínimo do nervo e os sintomas são leves e não interferem com a vida diária, o seu médico pode prescrever um ou mais dos seguintes tratamentos conservadores para tratar sua condição.

  • Medicação – medicamentos como um anti-inflamatório não-esteróide (AINE), ou, se isso falhar, para prestar socorro, um analgésico de prescrição, esteróides ou relaxantes musculares.
  • Correção da postura – O alinhamento correto da coluna vertebral pode reduzir o estresse na região lombar e no pescoço.
  • Modificação de atividade – Alterar as atividades em casa e no local de trabalho para eliminar a torção excessiva, alongamento e flexão, bem como aprender técnicas de elevação e carregamento adequadas.
  • Exercício/fisioterapia – Para melhorar a flexibilidade, força e circulação, bem como reduzir a dor e inflamação e aumentar o movimento livre de dor.
  • Órtese externa – Para apoiar a coluna durante o processo de cicatrização.
  • Bloqueio foraminal- procedimento realizado pelo cirurgião de coluna ou pelo clínico da dor, em regime ambulatorial e sob anestesia local. Para isso é utilizado um aparelho chamado intensificador de imagens, que ajuda o cirurgião a localizar o forame a ser bloqueado com medicamentos anestésicos e anti-inflamatórios esteróides. Tem finalidade tanto diagnóstica quanto terapêutica, sendo uma importante ferramenta no armamentário do especialista em coluna para resolver os seus sintomas radiculares.

Se o tratamento conservador não fornecer alívio duradouro, o médico pode recomendar a cirurgia da coluna para remover a fonte de pressão sobre as raízes nervosas da coluna vertebral. Terapias cirúrgicas para o tratamento da estenose foraminal incluem:

  • Laminectomia – Um procedimento no qual a lâmina da vértebra afetada (a porção do arco vertebral que forma o “telhado” do canal espinal) é removida ou cortada para alargar o forame e criar mais espaço para os nervos da coluna vertebral. vide opções de tratamento 
  • Discectomia cervical anterior com fusão – um procedimento em que o disco intervertebral é removido e o espaço do disco é distraído para “reabrir” o forame e dar às raízes nervosas mais espaço. Em seguida as vértebras são unidas (fundidas) através da colocação de enxerto ósseo entre os níveis afetados. O enxerto funciona como um meio de ligação e também ajuda a manter a altura normal do disco até que as vértebras se unam e estabilizem a coluna. vide opções de tratamento 
  • Foraminotomia cervical minimamente invasiva – através de um pequeno tubo de 14-16 mm o seu médico faz uma pequena abertura no forame por trás no pescoço, permitindo o alívio da compressão sobre a raiz nervosa. vide opções de tratamento.
  • Foraminotomia lombar minimamente invasiva – procedimento semelhante ao anterior, mas na parte baixa das costas (região lombar). Permite que a compressão seja devidamente tratada sem a necessidade de ressecar toda a articulação facetária, o que levaria à instabilidade do segmento e necessidade de fusão vertebral. vide opções de tratamento 
  • Espaçador interespinhoso percutâneo – para casos selecionados em pacientes idosos com outras comorbidades, pode ser indicado o uso de dispositivo que é colocado percutaneamente e sob anestesia local entre os processos espinhosos do segmento acometido. Esse dispositivo então “bloqueia” a extensão e mantém o forame intervertebral ligeiramente distendido, o que pode aliviar os sintomas sobre as raízes nervosas. vide opções de tratamento – espaçador interespinhoso percutâneo.
  • Fusão ou artrodese intervertebral – a artrodese normalmente não é indicada para o tratamento da estenose foraminal isolada, mas quando em associação com outras condições na coluna, pode ser necessária. O uso de cages intersomáticos (espaçadores que são colocados entre as vértebras no espaço do disco) modernos permitem que se faça uma descompressão indireta do forame neural, pelo restabelecimento da altura entre as vértebras e de sua posição anatômica. Esse é o princípio utilizado, por exemplo, na técnica do XLIF. vide opções de tratamento – artrodese extremo-lateral minimamente invasiva XLIF.

Estes procedimentos podem ser realizados utilizando técnicas tradicionais “abertas” ou minimamente invasivas, dependendo de sua condição e da preferência, experiência e formação do seu médico.

A decisão de tratar a estenose foraminal cirurgicamente exige uma análise cuidadosa entre você e seu médico. Fatores a serem considerados são a sua condição específica e saúde física geral. Discuta sua condição cuidadosamente com seu médico, e confie em seu julgamento sobre qual opção de tratamento é a mais adequada.

Diagnósticos


Warning: Use of undefined constant title - assumed 'title' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/storage/5/81/c1/cristianomenezes1/public_html/wp-content/themes/cristiano2016/single.php on line 89

Warning: Use of undefined constant ASC - assumed 'ASC' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/storage/5/81/c1/cristianomenezes1/public_html/wp-content/themes/cristiano2016/single.php on line 90

Assinar
Newsletter