Fusão Lombar Extremo-Lateral Minimamente Invasiva – XLIF

O XLIF é uma abordagem extremo-lateral à coluna pela parede lateral do abdome através de um músculo chamado Psoas, que fica na porção lateral profunda da coluna lombar. O XLIF oferece aos cirurgiões e seus pacientes uma opção menos invasiva para a cirurgia da coluna.

O que é um XLIF ?

A não ser que você já tenha estudado anatomia, as maiores chances são de que você nunca tenha ouvido falar do músculo Psoas. Um dos “heróis” do nosso corpo , este importante músculo se estende ao longo de todo o comprimento da parte inferior da coluna e é responsável pela estabilidade, flexão e amplitude de movimento da parte inferior das costas e dos quadris .

Precisamente por causa de seu tamanho e localização, também é parte integrante de um procedimento minimamente invasivo de fusão espinhal, chamada artrodese extremo-lateral ou XLIF/DLIF , que vem ganhando muita popularidade na comunidade científica da Cirurgia da Coluna nos últimos anos.

A abordagem lateral direta para a fusão espinhal permite o acesso à área da coluna a ser tratada ao mesmo tempo que preserva e minimiza os potenciais efeitos danosos sobre os tecidos moles circundantes, como os músculos pára-vertebrais, os nervos e os vasos sanguíneos.

O acesso claro ao disco intervertebral, tanto para visualização quanto para o tratamento das vértebras afetadas, é um dos aspectos mais críticos da cirurgia de fusão espinhal. Há várias abordagens diferentes pelas quais um cirurgião habitualmente obtém um procedimento do tipo intersomático (entre os corpos vertebrais). Eles incluem acessar a coluna pela frente do corpo através de uma incisão no abdome do paciente (artrodese lombar anterior – ALIF) ; acessar a coluna vertebral através de uma incisão nas costas do paciente sobre a linha média (artrodese lombar posterior – PLIF) ou acessar a coluna do lado através de uma incisão na parte de trás lateral do paciente (artrodese transforaminal – TLIF) . Os fatores que influenciam a decisão de um cirurgião por qual abordagem incluem a condição vertebral a ser tratada, a sua localização na coluna vertebral, a própria formação e experiência cirúrgica do médico, a tecnologia disponível e a saúde geral do paciente.

XLIF

O XLIF é diferente de outras técnicas de fusão da coluna vertebral pois o cirurgião faz uma pequena incisão na pele da parede lateral do abdome do paciente . Em seguida, usando as técnicas cirúrgicas minimamente invasiva, ele cria uma estreita passagem através dos tecidos moles subjacentes e o músculo Psoas, a partir do exterior do músculo para o seu interior, separando suavemente suas fibras, ao invés de corta-lo, chegando diretamente sobre a vértebra e o disco a serem tratados. Este acesso é chamado de transpsoas.

Por que eu preciso deste procedimento?

Composta por cinco vértebras (L1- L5) a coluna lombar recebe a maior quantidade de peso do corpo, tornando-se uma fonte comum de dor nas costas. Doenças degenerativas, deformidades e outras lesões podem levar à instabilidade da coluna vertebral que, se resultarem em pressão sobre a medula espinhal e/ou sobre os nervos circundantes, podem vir a causar dor nas costas e/ou dormência e fraqueza muscular que se estende até os quadris, nádegas e pernas.

Se esses sintomas persistirem por um longo período de tempo e não responderem a medidas de tratamento conservador como repouso, medicação , exercícios e fisioterapia, o cirurgião pode recomendar um procedimento cirúrgico chamado de fusão (artrodese) espinhal .

O objectivo de fusão vertebral é restaurar a estabilidade da coluna vertebral, e o procedimento envolve normalmente a remoção do disco danificado e esporões ósseos entre duas vértebras adjacentes (descompressão) e, em seguida, a colocação de material de enxerto ósseo dentro do espaço do disco para promover o crescimento do osso que una permanentemente as duas vértebras (fusão) . Instrumentação tais como hastes, placas e parafusos podem também ser adicionados para criar um “fixador  interno” que suporta a estrutura vertebral durante o processo de cura (ver Instrumentação Pedicular Percutânea) .

Como um XLIF é realizado ?

Para um procedimento minimamente invasivo XLIF o paciente é posicionado de lado na mesa de cirurgia (isso é chamado de decúbito lateral), e sedado sob anestesia geral. O cirurgião em seguida:

  • Usando um fluoroscópio (um tipo de máquina de raio- x dinâminca usada na sala de cirurgia), garante um posicionamento adequado das vértebras a serem tratadas.
  • Faz uma pequena incisão na pele do lado do paciente, ao longo da seção central do disco para uma fusão de nível único ou sobre o corpo vertebral intermédio para uma fusão de vários níveis .
  • Utilizando fluoroscopia, insere uma série de dilatadores através dos tecidos moles e as fibras do músculo psoas para criar um pequeno ” túnel ” através do qual o cirurgião pode visualizar a coluna vertebral e realizar a cirurgia .  Um dispositivo de neuromonitorização direcional contínua (Neurovision) também é usado para identificar a localização precisa e proteger as raízes dos nervos espinhais. Através desta abertura estreita, o seu cirurgião :
  • Remove os tubos de dilatação e sutura a incisão .

Quanto tempo eu levarei para me recuperar ?

Seu cirurgião terá um plano de recuperação/ exercícios pós-operatórios específico para ajudá-lo a voltar ao seu nível de atividade normal assim que possível. Seguindo um procedimento XLIF, você poderá notar uma melhoria imediata de alguns ou de todos os seus sintomas. Outros sintomas podem melhorar de forma mais gradual.

A quantidade de tempo necessário para você ter alta hospitalar dependerá do seu plano de tratamento. Seu retorno ao trabalho vai depender do quão bem o seu corpo será capaz de se recuperar e do tipo e nível do seu trabalho/atividade .

Trabalhar em estreita colaboração com o seu cirurgião de coluna para determinar o protocolo de recuperação adequado para você e seguir as suas instruções “ao pé da letra” irão otimizar o seu processo de cicatrização.

Existem riscos potenciais ou complicações ?

Todos os resultados de tratamentos são específicos para um determinado paciente. Os resultados podem variar. Mesmo que o XLIF seja minimamente invasivo, é importante lembrar que ainda se trata de uma cirurgia da coluna e, portanto, envolve riscos. Complicações como infecção, danos aos nervos, trombose, perda excessiva de sangue e alterações do funcionamento vesical e intestinal, juntamente com as complicações associadas com a anestesia, são alguns dos riscos potenciais da cirurgia da coluna vertebral . Um risco potencial inerente a fusão vertebral é a falha do enxerto de osso vertebral em se fundir adequadamente (pseudoartrose), uma condição que pode requerer cirurgia adicional .

É importante que você discuta os potenciais riscos, complicações e benefícios da cirurgia da coluna vertebral com o seu médico antes de receber o tratamento. Apenas o seu médico pode determinar se você é um candidato adequado para este tratamento.

Os materiais contidos neste site são apenas para sua informação educacional em geral. As informações que você lê neste site não podem substituir a relação que você tem com o seu profissional da saúde. Nós não praticamos medicina ou prestação de serviços médicos através deste website . Você deve sempre falar com o seu profissional de saúde para obter um diagnóstico e tratamento.

 

Lombar


Warning: Use of undefined constant title - assumed 'title' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/storage/5/81/c1/cristianomenezes1/public_html/wp-content/themes/cristiano2016/single.php on line 89

Warning: Use of undefined constant ASC - assumed 'ASC' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/storage/5/81/c1/cristianomenezes1/public_html/wp-content/themes/cristiano2016/single.php on line 90

Assinar
Newsletter